sábado, 2 de março de 2013

Desmitificando alguns mitos sobre bancos centrais

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1537


D1709BB1.jpgO Federal Reserve só foi criado em 1913, o que significa que durante o período de maior enriquecimento da história americana -- 1865 a 1913 -- não havia nenhum banco central.  Mais ainda: quando foi criado, o Fed não possuía a função de gerenciar a oferta monetária do país.  Os EUA ainda operavam sob um padrão-ouro clássico e, sendo assim, não havia necessidade de se ter um banco central para controlar a oferta monetária.  O uso do ouro, ou de qualquer outra commodity, como moeda impõe uma limitação natural à criação de dinheiro, limitação essa representada pelo custo de se extrair da natureza quantidades adicionais desta commodity.  É apenas quando se adota dinheiro de papel e sem nenhum lastro em commodity (o chamado dinheiro fiduciário), que os bancos centrais adquirem a função de controlar a oferta monetária.  E é exatamente este gerenciamento da oferta monetária -- que leva a uma criação cíclica de dinheiro -- o que gera os ciclos econômicos que fustigam as economias de mercado. 

O Banco Central do Canadá só foi criado em 1935.  O sistema bancário canadense passou incólume à Grande Depressão, não registrando nenhuma grande falência bancária.  Em contraste, milhares de bancos americanos quebraram, não obstante a existência do Federal Reserve.  Essas falências bancárias em larga escala só acabaram porque Franklin Roosevelt decretou feriado bancário e criou o FDIC, o seguro federal para depósitos (o que fez com que as pessoas parassem de retirar seu dinheiro dos bancos).  O Fed não deu qualquer contribuição para a estabilidade bancária.

Postar um comentário