segunda-feira, 9 de julho de 2012

Sua privacidade pertence apenas a você; e nunca ao estado

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1353


privacidade.jpgSe um vizinho tomasse a liberdade de ler as cartas da sua caixa de correspondência ou de anotar detalhes sobre suas movimentações bancárias -- em decorrência de ter lido as correspondências que lhe foram enviadas pelo banco --, você se sentiria violado e enfurecido por essa invasão.  Aquilo que é errado para seu vizinho fazer é também errado para o estado fazer.  Um não é superior ao outro.  Não há meio-termo.  Existe somente um padrão de moralidade. Roubo é roubo, invasão é invasão.  E você tem o direito de bater a porta na cara de qualquer um que diga que "não é bem assim".  Um ser humano pacífico não deve satisfações a ninguém.

Exija do estado os mesmos padrões morais que você exige dos seus vizinhos... porque não há dois pesos e duas medidas para o certo e o errado.  Privacidade é um direito, não uma admissão de culpa.  Sua identidade pertence devidamente apenas a você e nunca ao estado.

Postar um comentário