quinta-feira, 24 de outubro de 2013

A França e o ápice da social-democracia: impostos para todos, emprego para poucos

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1719


hollande_arrow-reuters.jpgUm em cada quatro franceses com formação universitária quer sair do país em busca de uma vida melhor.  Mais de 70% dos franceses creem que os impostos estão "excessivos" e 80% acreditam que a política econômica do governo é "equivocada" e "ineficiente".

Esta é a nova França de François Hollande, hoje o país com a mais alta carga tributária do mundo.  Neste ano, estima-se que as receitas tributárias irão chegar a 46,3% do PIB.  O primeiro-ministro Jean-Marc Ayrault, do Partido Socialista, criou nada menos que 84 novos impostos apenas nos últimos dois anos.  E essa cifra ainda não contém aquela que seria a mais egrégia de suas façanhas: um imposto de 75% sobre rendas superiores a um milhão de euros.  Tal proposta foi considerada inconstitucional.  Mas os social-democratas não devem se preocupar, pois alguns políticos franceses não irão deixar essa mera decisão judicial atrapalhar seus planos: a proposta ainda continua sendo discutida na assembléia nacional francesa, com algumas pequenas alterações.

E a possibilidade de essa proposta ser aprovada vem gerando algumas consequências inesperadas.  Uma das diversões favoritas dos franceses -- junto com os queijos brie e as baguettes -- poderá ser duramente atingida: o futebol.

Postar um comentário