quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Obcecados pela megalomania

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1495


megalomania.jpgTodos nós, desde a infância, fomos moldados pelo estado ou por instituições licenciadas pelo estado -- pré-escola, ensino fundamental, ensino médio e universidade, todas elas com currículos estipulados pelo estado.  Fomos condicionados desde crianças a ver o estado como uma instituição necessária e salvadora.  Sendo assim, esse resultado por você citado não deveria ser nada surpreendente. 

No entanto, se eu lhe perguntasse se você julga ser indispensável haver uma instituição que possua o poder supremo de decisão sobre todo e qualquer conflito, inclusive aqueles em que ela também está envolvida, você certamente diria que não -- a menos, é claro, que você esperasse estar no comando dessa instituição.  É claro.  Porque tão logo você entende que tal instituição não irá se limitar a apenas mediar conflitos, uma vez que ela também pode criá-los, então você será também capaz de perceber que ela logicamente sempre irá resolver esses conflitos em benefício próprio. 

Mas é exatamente isso, este poder supremo sobre decisões judiciais, que é a característica específica dessa instituição chamada estado.  O estado detém o monopólio supremo da aplicação da lei e da justiça, e é inevitável que ele utilize esse monopólio para proveito próprio.  O estado é qualquer coisa, menos o resultado de um contrato.  Nenhum indivíduo dotado de uma mínima quantidade de bom senso iria concordar com tal contrato.  Tenho vários contratos em minha pasta de arquivos, mas não há nenhum igual a esse.  O estado é resultado da força agressiva e da subjugação.  Ele surgiu, cresceu e se expandiu sem nenhuma fundação contratual, exatamente como uma quadrilha mafiosa que prática extorsão em troca de "proteção". 

Postar um comentário