sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O mercado, e não os sindicatos, nos propiciou o lazer e o descanso

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1421


trabalho-motivacao.jpgA semana de trabalho mais curta é uma invenção inteiramente capitalista.  À medida que os investimentos em capital -- isto é, em máquinas, equipamentos e instalações -- levaram a um aumento na produtividade marginal dos trabalhadores ao longo do tempo, foi possível que uma quantidade menor de trabalho gerasse os mesmos níveis de produção.  À medida que a concorrência foi se tornando mais intensa, vários empregadores passaram a competir pelos melhores empregados.  E esta competição se deu de duas maneiras: oferecendo salários maiores e horas de trabalho menores.  Aqueles que não oferecessem semanas de trabalho menores eram obrigados pelas forças da concorrência a compensar esta desvantagem oferecendo salários maiores -- caso contrário, estes empreendedores se tornariam pouco competitivos junto ao mercado de trabalho, ficando sem mão-de-obra qualificada.

A concorrência capitalista, não obstante as alegações contrárias dos sindicalistas, também explica por que o "trabalho infantil" desapareceu nos países ricos.  Antigamente, os jovens deixavam o campo e iam para a cidade trabalhar sob condições severas nas fábricas porque isso era uma questão de sobrevivência para eles e para suas famílias.  Porém, à medida que os trabalhadores foram se tornando mais bem pagos -- graças aos investimentos em capital e aos subsequentes aumentos na produtividade --, um número cada vez maior de pessoas passou a poder se dar ao luxo de manter seus filhos em casa e na escola.  As legislações, apoiadas pelos sindicatos, proibindo o trabalho infantil só surgiram depois que o trabalho infantil já havia declinado.

Postar um comentário