sexta-feira, 5 de julho de 2013

O Recadastramento Eleitoral Biométrico Não Tem Base Legal !

Diante da intensa propaganda do TSE sobre o recadastramento biométrico de eleitores, alguns membros do Comitê Multidisciplinar Independente - CMInd - têm sido procurados para avaliar e opinar.

As dúvidas giram em torno da efetividade do processo de identificação biométrica e, principalmente, sobre as garantias de privacidade para o cidadão que fornecerá seus dados pessoais.

Respondendo a essa procura e dúvidas, está sendo lançado o Movimento de Obediência Civil a partir do saite:
que contem vários esclarecimentos e denuncia que:

1- O Recadastramento Eleitoral Biométrico Não Tem Base Legal !
2- O objetivo de impedir alguém voto no lugar de eleitores regulares NÃO É ATINGIDO
3- São coletados muitos mais dados biométricos do que o TSE usa de fato
4- Há dúvidas quanto a garantia da privacidade dos cidadãos brasileiros diante da exigência de uso do padrão desenvolvido pelo FBI norte-americano e de software homologado pelos mesmos. 

A nossa proposta é que cada eleitor, que não se sinta confortável diante desse arrastão de irregularidades, dê entrada numa Petição ao Juízo Eleitoral para que seja dispensado de fornecer seus dados biométricos sem que seja impedido de exercer seu direito de voto.

Detalhes sobre como proceder, justificativas legais e técnicas podem ser vistos a partir de:
  http://www.votoseguro.org/textos/recadastramento.htm

Saudações,

Eng. Amilcar Brunazo Filho

O eleitor argentino pode ver e conferir
o conteúdo do registro digital do seu voto
antes de deixar o local de votação.
O eleitor brasileiro não pode!
No Brasil, o voto é secreto até para o próprio eleitor.

Eu sei em quem votei. Eles Também.
Mas só eles sabem quem recebeu meu voto

Conheça o Relatório CMind 1 sobre as urnas eletrônicas brasileiras
           e o Relatório CMind 2 sobre as urnas eletrônicas argentinas
Postar um comentário