quinta-feira, 25 de abril de 2013

A nova onda de controle de preços na América Latina

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1582


hugo-chavez-cristina-kirchner_2.jpgA Argentina, país que nunca se cansa de tentar reinventar as leis econômicas, vem vivenciando o mesmo dilema da Venezuela. Os preços da gasolina e dos bens nos supermercados estão congelados. Segundo o governo, a inflação de preços é de 10% ao ano.  Mas nenhum argentino acredita nisso.  Estatísticas independentes afirmam que a inflação de preços está na casa dos 30% ao ano.  No mercado negro, o valor do dólar é 60% maior do que o câmbio oficial, controlado pelo governo.  Isso coloca a inflação de preços implícita da Argentina em mais de 70%.

Os argentinos praticamente não poupam seus pesos.  Assim que eles recebem pesos, eles gastam para se livrar deles.  Segundo estimativas de 2010, mais de 50% das famílias argentinas não utilizam o sistema bancário, certamente traumatizadas pelo corralito de 2001/2002.  Elas poupam em dólares e guardam este dinheiro ou dentro de casa ou em bancos no exterior.

Justamente por isso, o governo argentino está fechando o cerco, dificultando ao máximo a compra de dólares.  Quem é pêgo transacionando dólares nas ruas pode ir preso.  Isso empurrou as operações literalmente para o subterrâneo.

Postar um comentário