sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O avarento que acumula e guarda dinheiro em sua gaveta pode prejudicar uma economia?

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1526


miser11.jpgEstão enganados aqueles economistas que acreditam que há algo de errado quando o dinheiro não está em "circulação" constante e ativa.  É verdade que o dinheiro só é útil para intermediar a troca de coisas de valor, mas ele não é útil apenas no momento em que ocorre a troca.  Essa verdade sempre foi muito negligenciada.  O dinheiro é igualmente útil quando repousa "inerte" nos encaixes de alguém, mesmo que esteja dentro da gaveta de um avarento.  E o motivo é que este numerário está sendo guardado agora à espera de uma possível troca futura -- dando ao seu dono, neste momento, a prestimosidade de permitir trocas a qualquer momento, presente ou futuro, que ele queira.

Adicionalmente, é um equívoco dizer que o dinheiro "circula".  Como todas as metáforas inspiradas nas ciências físicas, dizer que o dinheiro "circula" sugere algum tipo de processo mecânico independente da vontade humana, cujo fluxo se move a uma dada rapidez ou "velocidade".  Na realidade, o dinheiro não "circula"; ele simplesmente é, a cada momento, transferido do encaixe de uma pessoa para o encaixe de outra pessoa.  A existência do dinheiro, portanto, depende da disposição das pessoas em manter encaixes.
Postar um comentário