segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

O que os amantes da liberdade devem fazer?

URL: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1417


Free.jpgA única função do estado é ser um aparato de coerção e compulsão.  Esta é a sua marca distintiva.  É isso que torna o estado o que ele realmente é.  Da mesma maneira que o estado responde bem a argumentos de que ele deveria ser maior e mais poderoso, ele é institucionalmente hostil a qualquer um que diga que ele deveria ser menos poderoso e menos coercivo.  Isso não quer dizer que algum trabalho feito "de dentro" não possa gerar algo de bom, em algum momento.  Porém, é muito mais provável o estado converter o libertário do que o libertário converter o estado.

Todos nós já vimos isso milhares de vezes.  Dificilmente são necessários mais do que alguns poucos meses para que um intelectual libertário que tenha ido para o governo "amadureça" e se dê conta de que seus ideais eram 'muito pueris' e 'insuficientemente realistas'.  Um político prometendo tornar o governo mais manso e mais submisso rapidamente se torna um proeminente especialista em criar novas maneiras de tornar o estado mais eficiente no confisco da riqueza alheia.  Tão logo este fatídico passo é tomado, não há mais limites.  Conheço pessoalmente um burocrata americano que havia jurado fidelidade à filosofia libertária e, mais tarde, ajudou a implantar lei marcial no Iraque.

Postar um comentário